Intercâmbio Unoesc › Depoimentos

Depoimentos

Confira a opinião e depoimentos de alunos que já fizeram intercâmbio:

  • Patrícia Mattana, aluna de Psicologia da Unoesc Chapecó.

    Patrícia Mattana, aluna de Psicologia da Unoesc Chapecó.

    Está em intercâmbio na Universidade do Minho - Portugal

    A experiência está sendo incrível. O intercâmbio está me possibilitando conhecer pessoas e culturas diferentes, e também conhecer mais a mim mesma, pois é um processo de muita descoberta, onde estou sendo "forçada" a criar maior independência, responsabilidade e flexibilidade. Está sendo um período de muito amadurecimento e crescimento pessoal e também profissional, já que a cada dia estou conhecendo e interagindo com novas pessoas que têm muito conhecimento para compartilhar. O maior desafio, acredito que seja a adaptação a um país diferente do meu país de origem, e isso vai desde a cultura, o modo de falar, de se relacionar, até mesmo a alimentação e aos horários.
    Posso dizer que a experiência possibilita muitos ganhos, principalmente pessoais, e vale muito a pena!

  • Carolina Barrera Inman, aluna da UABC México.

    Carolina Barrera Inman, aluna da UABC México.

    Estudou o primeiro semestre de 2015 no curso de Psicologia da Unoesc Xanxerê.

    Posso resumir que a minha experiência de intercâmbio em Xanxerê, Brasil, foi extraordinária.
    Tive a oportunidade de viver, experimentar e conhecer culturas diferentes, pessoas com perspectivas de vida diferentes, assim como outras com olhares similares ao meu; comidas típicas e diferentes da região, cidades e países diferentes, uma universidade diferente, assim como métodos de ensino, professores, colegas e modos de organização diferentes. Sem dúvida, estou levando uma bagagem de vida mais rica.
    Agora, a poucos dias de voltar para casa, me sinto mais segura, mais aberta para expressar o que penso e sinto, mais capaz de enfrentar as dificuldades da vida e com uma visão diferente do mundo, com a ideia de que posso conquistar qualquer coisa que me proponha.

  • Valeria Borunda Quezada, intercambista no curso de Administração da Unoesc Chapecó

    Valeria Borunda Quezada, intercambista no curso de Administração da Unoesc Chapecó

    UACH, México através da mobilidade acadêmica - 2015

    Inicialmente sentimos dificuldade com o idioma, que dificultou um pouco a integração, mas aos poucos fomos bem recebidas, principalmente pelos professores que compreendiam nossa condição de intercambistas e estavam sempre acessíveis e dispostos a ajudar. Quanto ao país o céu é maravilhoso, lindo, pessoas amorosas, atentas, dispostas a ajudar. Quanto ao ganho profissional, será possível levar outras visões da Administração, aplicar métodos da gestão vistos aqui a realidade Mexicana e empreender no futuro.

  • Silvia Janeth Bojorquez Noriega, intercambista no curso de Administração da Unoesc Chapecó

    Silvia Janeth Bojorquez Noriega, intercambista no curso de Administração da Unoesc Chapecó

    UACH, México através da mobilidade acadêmica - 2015

    O inicio foi complicado pelo idioma, mas com a ajuda do curso de Português disponibilizado pela Universidade, dos colegas e dos professores foi superado. Como profissional o intercâmbio contribuiu para conhecer o pensamento de outras empresas, outras formas de administrar. Como pessoal a experiência de ser independente, fazer atividades como lavar, cozinhar, sozinhas, além de adaptar-se a uma nova cultura. O intercâmbio foi maravilhoso.

  • Caroline Testa, do curso de Medicina Veterinária da Unoesc Xanxerê

    Caroline Testa, do curso de Medicina Veterinária da Unoesc Xanxerê

    Irlanda pelo programa Ciência sem Fronteiras.

    Meu nome é Caroline Testa e eu estive estudando Bioquímica na Trinity College Dublin durante 9 meses. Fui para a Irlanda através do programa Ciência sem Fronteiras e morei em Dublin nesse um ano de intercâmbio.
    A Trinity é uma universidade muito acolhedora, sempre tentava fazer com que os alunos internacionais se sentissem o mais confortável possível. O cronograma acadêmico era muito variado e a universidade promovia, durante os termos (semestres), uma semana sem aulas, para que os alunos pudessem estudar, viajar, aproveitar os dias livres como quisessem. Tive dificuldade com o curso de bioquímica, pois não é o mesmo que estudo no Brasil, já que aqui sou acadêmica de Medicina Veterinária. Mesmo assim, não posso reclamar, os professores eram ótimos, sempre dispostos a ajudar. As provas eram concentradas em apenas um mês (maio), mas a universidade promovia tutoriais, onde cada professor cuidava e desenvolvia atividades extras para um grupo de no máximo 4 alunos, preparando-os para os exames finais. Com relação ao estágio, posso assegurar que foi uma experiência única. Eu nunca tinha trabalhado com ratos antes e lá eu tive a oportunidade de conhecê-los melhor, além de entender a dinâmica dos laboratórios.
    Eu morei no Trinity Hall, o alojamento universitário fora do campus, a uma distância de quase 5 km da universidade, ao todo 31 brasileiros viveram nesse mesmo local. Conheci algumas pessoas, que hoje são meus grandes amigos e lá recebi muitas dicas e conselhos, já que foi a primeira vez que sai do Brasil.
    Aproveitei minhas semanas de folga de forma variada. Em uma delas, eu e um grupo de amigos fizemos uma viagem de motorhome, onde passamos 7 dias conhecendo um pouco mais do país em que estava morando. Ao todo viajamos por 15 cidades e além de visitarmos lugares lindos, com paisagens encantadoras, aprendemos a conviver sem brigas em um lugar pequeno e sem muito conforto. Dentre as cidades visitadas na Irlanda, posso citar Galway, Cork, Adare, Killarney, Dingle e Kilkenny.
    Já os finais de semana, aproveitei para descansar e fazer atividades de lazer e cultura. Com um grupo dos brasileiros fizemos algumas caminhadas, andamos de Bray para Greystones (9,5km) e fomos para Howth (13 km), também conheci alguns museus, parques e visitei a Biblioteca da Trinity, que contém partes do Book of Kells. Nas férias de Natal, pude conhecer e desfrutar de outros países como a Itália (Roma, Pisa, Florença, Veneza e Milão), Espanha (Madri, Valencia e Barcelona) e Portugal (Lisboa e Porto). Também conheci a Polônia durante um período sem aulas e, nas férias de verão, fui à França.
    Retornei ao Brasil em setembro de 2014, com muitas histórias para contar e milhares de recordações. Até hoje mantenho contato com os amigos que fiz no intercâmbio e pretendo visitá-los sempre que puder.